segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

Reforma da Vila de São Vicente: quase um ano de atraso

Equipamento está com todos os estabelecimentos comerciais e espaços culturais fechados

m dos equipamentos culturais mais importantes de São Vicente não abriga nenhum tipo de atividade há quase um ano. Com a promessa de reforma, o Parque Cultural Vila de São Vicente está fechado desde fevereiro do ano passado. A reabertura estava prevista para maio do mesmo ano, só que até hoje não aconteceu.

O equipamento abriga cinco lojas de artesanato, uma doceria, um restaurante, um teatro e um local que seria destinado a um museu.

Matéria publicada pelo Diário do Litoral em fevereiro do ano passado informava a reforma pela qual o espaço passaria. Na época, o secretário de Cultura do Município, Amauri Alves, deu entrevista ao jornal, quando estabeleceu o prazo “Estamos programando para março a licitação de ocupação e reestruturação de Vila, cuja reforma foi realizada de forma inadequada, para reabri-la em maio”.

Na última semana, quando a Reportagem do Diário do Litoral esteve no local, encontrou todos os estabelecimentos comerciais e ambientes culturais de portas fechadas. Apenas a Vila estava aberta. “A gente abre o espaço (a Vila de São Vicente) para mostrar movimentação aqui dentro para evitar a permanência de usuários de drogas”, explicou um funcionário da Companhia de Desenvolvimento de São Vicente (Codesavi), que faz a manutenção do equipamento.

Codesavi permanece no equipamento para evitar permanência de usuários de drogas (Foto: Matheus Tagé/DL)

Sobre a reforma, o mesmo funcionário conta que só foram feitas até agora as rampas de acesso a cadeirantes na entrada das lojas e algumas remodelações das repartições dos estabelecimentos.

O chefe de departamento de eventos da Secretaria Municipal de Cultura, Saulo Francine, justificou o descumprimento do prazo: “Nós estamos esperando o recurso que vem de uma emenda parlamentar do deputado Luciano Batista (PTB)”.

De acordo com Francine, a previsão da Prefeitura é de que ainda no primeiro semestre desse ano a verba seja liberada e no início do segundo semestre as obras já estejam concluídas. Os serviços, que deve custar em torno de R$ 200 mil, devem ser realizados dentro de no máximo dois meses, afirma o chefe de departamento de eventos.

Entre as mudanças na Vila de São Vicente, o projeto da Prefeitura é trocar o telhado dos equipamentos internos, adaptar o restaurante para implantar um restaurante escola, troca de sistema elétrico e iluminação, pintura do espaço e substituição de todo o madeiramento, que está com cupim.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O COMTUR SãoVicente agradece sua participação!
obs: Os comentários são moderados.

Mantenha contato! Muita Luz.....